Cruzeiro no MSC Seaview – avaliação do cruzeiro e do navio

navio

Navio MSC Seaview

Avaliação do navio

O MSC Seaview é um dos navios de última geração da MSC e a par do Seaside, tem um design diferente dos restantes navios da frota. É um navio que é mais estreito nos pisos que, por exemplo, os navios da classe Fantasia ou Meraviglia

Num artigo anterior, descrevi o navio e as suas áreas.

Pelo que neste artigo, irei descrever os pontos positivos e negativos do navio

Aquaventura Park

Parque aquático muito bom, especialmente para os mais jovens e crianças. Tem uma zipline que permite ter uma experiência inicial de slide para quem nunca fez. Para mim foi a primeira vez (viu o vídeo)?

Existem tubos aquáticos que passam por cima do mar, fora do navio.

navio

Os mais rápidos descem-se usando pranchas de borracha, que permite obter grande velocidade na descida. Muito do agrado dos mais jovens.

O tempo não estava convidativo para usufruir do tubos aquáticos, pelo que não os utilizei.  Mas apreciei o gosto de quem utilizou.

Para utilizar o Aquaventura Park paga 10 euros e tem que manter uma fita no pulso até ao final do cruzeiro. Inclui a utilização do zipline

Ponte dos Suspiros

A parte mais elegante do navio é sem dúvida a popa, onde se encontra a Ponte dos suspiros.

navio
Ponte dos Suspiros

É o local de excelência para aquelas fotos memoráveis. Veja, caminhe na ponte, olhe para baixo para a piscina e sinta a altura. Adorei fotografar a ponte com o navio em movimento.

Por baixo tem a Sunset Pool, que para mim é a piscina que mais gostei e onde me banhei por duas vezes quando o tempo o permitia. Tem uma profundidade de 1,95 metros e é sempre vigiada. É proibido mergulhar.

Waterfront Promenade

seaview

Muito bom para tomar refeições especialmente quando o navio está a navegar e quando está calor. Se tomar refeições na promenade nos portos de escala, recomendo que o faça na zona abrigada, porque voam pássaros nas proximidades e a minha camisola foi devidamente presenteada.

Na waterfront tem também uma ponte de nome Infinity Bridge que, a exemplo da Ponte dos Suspiros, é envidraçada no chão e consegue ver o mar por baixo.

Bares

Destaco dois:

Sports Bar e Seaview Lounge. Ficam no piso 8 um em cada lado.

O Sports Bar tinha imensas televisões e um ecrã gigante. Tinha também pequenas “cabanas” onde havia uma televisão em cada uma delas, podendo-se ver jogos desportivos com maior privacidade.

No Sports Bar, vi o jogo Barcelona contra Liverpool. Foi um dos momentos altos dentro do navio. Adorei a forma como os adeptos do Barcelona viviam o jogo. De forma ordeira e vibrando com os golos e os falhanços dos golos. Parecia um estádio dentro do navio. Fenomenal! Havia quem puxasse pelo Liverpool, claro.

A MSC acertou em cheio aqui. Vale a pena fazer um cruzeiro durante uma fase final de campeonato do Mundo ou Europeu só para ver os jogos no Sports Bar.

O Seaview Lounge é, na minha opinião o bar ideal para se sentar após um jantar em família ou com amigos. Muito sossegado, com música de fundo e cadeirões grandes, se forem dois (casal). Era o meu local de eleição para tomar um café ou um Bailey Alexander após o jantar antes de ir ao teatro.

Teatro

Havia 3 sessões: uma às 19:45, outra às 21:15 e outra às 22:30. A peça demorava cerca de 30 a 45 minutos. Vi excelentes perfomances como também vi medianas.

Nada a apontar, mas não deixe de ir ao teatro. Há actuações espectaculares. Reserva é importante especialmente para as sessões das 21:15 que esgotam rapidamente. Apareça 5 minutos antes da sessão começar ou perde a vaga.

Use a aplicação MSC for Me para efectuar reservas. Faça o download da mesma antes de partir para o cruzeiro e configure a mesma quando estiver no navio.

Também pode reservar através da televisão no seu camarote ou nos ecrãs espalhados pelo navio.

O mesmo se aplica aos restaurantes de especialidade que já referi no artigo do dia de embarque

Restaurantes e Buffet

A parte má…. A MSC está a cair a pique na qualidade e variedade da comida. Já tinha notado um pouco no último cruzeiro que fiz nas Caraíbas e em Cuba em Março de 2018.

Confesso que não compreendo como é que a MSC está a desleixar-se neste ponto tão importante. Quero acreditar que é um caso excepcional. Tive uma conversa com um dos responsáveis do restaurante Silver Dolphin após ter saído de um jantar de estômago quase vazio e lhe transmiti as minhas observações, mostrando-me disponível para me sentar com um responsável de topo e ter uma conversa construtiva.

Quando se falha até nos profiteroles (estavam secos e duros), então é o fim da picada.

Até o risoto, que para mim era um must em todas as refeições MSC, não estava bom.

Só gostei de uma lasanha indicada por recomendação da mesma pessoa com quem falei.

O Buffet tinha pouca variedade de comida e havia dias em que partes do Buffet se encontravam encerradas… nunca entendi.

Já comi bem no Buffet, como comi mal.

A qualidade da comida de facto não está em bons parâmetros. Mesmo a pizza já esteve melhor. Já disse a um amigo meu: “Pizza boa é na MSC”. Já não é verdade. Comi uma em Manarola (Cinque Terre) que dá 20 a 0 à pizza da MSC.

Se no cruzeiro que vou fazer à Noruega no MSC Preziosa os standards não melhorarem, então o cruzeiro em Janeiro nos Emirados no MSC Belíssima será o último na MSC.

Desleixo na qualidade e variedade da comida é inaceitável numa companhia de cruzeiros digna desse nome.

Portos de escala

A MSC brilhou aqui neste ponto.

Adorei o tempo de escala em cada Porto. 10 horas em Génova, Cannes e La Spezia. Consegui visitar Portofino (e com uma caminhada de 4 Km ao longo da costa); Cinque Terre desde La Spezia e Cannes e Nice.

Este foi um ponto que me fez escolher este cruzeiro, juntamente com o navio.

Para saber como foi em cada Porto de escala, clique:

Palma de Maiorca – antes que pergunte, fiquei no navio. Já lá estive uma semana de férias na primeira década deste século e voltei a passar num cruzeiro anterior.

Conclusão

Globalmente, o cruzeiro foi positivo. A excepção foi a comida. Nada contra os profissionais que trabalham no navio e que dão o seu melhor para agradarem aos passageiros.

E por favor MSC, permitam o check-in online através da aplicação. Basta depois criarem balcões próprios no terminal de embarque para conferência do código de embarque gerado pela aplicação com o passaporte.

Boas viagens flutuantes 🙂

Acompanhe o blog no Facebook e Instagram.

Pedro Monteiro

Siga-me nas redes sociais
error

Agradeço seu comentário :)

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.