Cruzeiro no Sudeste Asiático – Parte 3 – Dois dias de navegação

2 dias de navegação

Navegação durante dois dias seguidos.

Comecei o dia tomando o pequeno almoço no quarto, como gosto. O pequeno almoço continental da Royal Caribbean servido no quarto está incluído na tarifa do cruzeiro. Já o americano, não. Paga-se $7,95 de taxa de serviço.

Durante estes dois dias fiz as coisas normais num cruzeiro, além de escrever estes artigos.

North Star

Experimentei a North Star por duas vezes e fiz um vídeo:

Carros de choque (Bumper Cars)

Depois fui experimentar os carros de choque:

Jantar com Australianos

Fui descansar para o quarto e de seguida fui jantar, tendo sido colocado numa mesa com mais 9 pessoas, todas elas australianas.

Uma delas julgava que Portugal ficava na América do Sul…. Aborrece-me ignorância a este nível, mas calmamente expliquei-lhe que ficava na Europa. Ele perguntou qual era o país mais próximo. Eu disse-lhe, Espanha. Aí já percebeu onde Portugal ficava.

Durante a conversação com as pessoas do grupo e para mostrar que ao contrário do cavalheiro que eu não sou ignorante, demonstrei alguma perícia em geografia da região australiana, tendo falado em Ayers Rock (famosa rocha de cor vermelha e adorada pelos aborígenes) e Alice Springs (esta para demonstrar que não sou um ignorante) que ficava no meio da Austrália. Ainda falei da grande barreira de coral…. Toma lá, “Aussie”.

Mas a conversa no grupo foi interessante, fui bem recebido. O grupo já tinha alguma idade.

Terminei o dia com um espectáculo de música do Teatro e fui dormir.

RipCord – simulador de Skydiving

No dia seguinte de navegação, tomei o pequeno almoço no camarote e às 12 horas fui experimentar o RipCord iFly – um simulador de skydiving.

Flowrider

De seguida experimentei o Flowrider – simulador de surf

Ok… não correu muito bem, mas foi a minha primeira vez.

Roller Skating – Patins

Almocei e às 15 horas fui experimentar pela primeira vez patinar. Dei alguns tombos, um deles foi mais sério e me deixou marcas nas costas, já que caí totalmente desamparado para trás e o lado esquerdo das minhas costas suportaram a queda. Foi mesmo feio e fiquei estendido ali no chão cheio de dores e com os olhos fechados. Quando abri os olhos tinha os dois monitores a olhar para mim e mais alguns patinadores. As dores vão se manter por alguns dias. Os monitores ficaram com o número do meu quarto para o caso de precisar de ser visto pelo médico. Estou a tomar Voltaren, já que tive a belissíma ideia de levar medicamentos para dores musculares.

Mas estive quase uma hora a tentar patinar, mesmo depois desta queda.

Levei a GoPro presa no peito mas não me atrevi a filmar. E tive razão. Nunca pensei que fosse tão difícil.

Fui recuperar para o Jacuzzi e nadei um pouco na piscina exterior.

Jantei novamente com dois casais australianos e um deles fazia 36 anos casados. Cantámos os parabéns.

Como estava com dores nas costas devido à “patinagem artística” fui descansar mais cedo, tomando mais um Voltaren.

Nos dos dias seguintes, paragem em Naha, Okinawa no Japão e depois, Taipei. Leia a reportagem.

Acompanhe o blog no Facebook e Instagram.

Pedro Monteiro

Siga-me nas redes sociais
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.