Cruzeiro no Sudeste Asiático – Parte 7 – final em Singapura

Singapura

Singapura

Singapura – cidade maravilhosa e que destronou Londres do topo da minha cidade favorita.

Singapura
Terminal de Cruzeiros
Singapura
Singapura

Saí do navio por volta do meio-dia e fui ao hotel fazer o check-in por duas noites.

De seguida fui trocar dólares americanos para dólar de Singapura. Fi-lo em Chinatown no centro comercial People’s Park Complex. Há lá várias casas de câmbio e a concorrência é grande. Tem metro (MRT) à porta – estação de Chinatown

Passeei pela cidade tendo reparado que a mesma tem uma boa harmonia e equilíbrio entre a natureza e o urbano. Jardins e arranha -céus.

harmonia entre o urbano e espaços verdes

Cruzeiro em Marina Bay

Fiz um cruzeiro pelas águas da Marina Bay que passam pelo meio da cidade

Singapura
Singapura vista de cruzeiro na Marina Bay

 

Marina Bay Sands

Entrei no famoso Marina Bay Sands que é um complexo hoteleiro e centro comercial com o nome The Shoppes at Marina Bay com todas as lojas de luxo que possa imaginar: Gucci, Prada, Louis Vuitton, Chanel, Van Cleef and Arpels… liste as marcas de luxo e decerto que cada uma tem uma loja neste centro comercial. Clique na ligação para saber mais sobre este complexo fabuloso.

Singapura
Complexo Marina Bay Sands

O mesmo ainda tem um canal artificial onde é possível passear de barco.

Singapura
Canal artificial no centro comercial The Shoppes at Marina Bay Sands

Tirei algumas fotos ao complexo de dia e de noite

Singapura
Marina Bay Sands

Do complexo tem-se uma excelente vista da cidade à noite e de dia

Singapura
Vista da cidade

Infinity Pool

Fotografei a “Infinity Pool” situada no mesmo complexo. O acesso só era permitido a quem é hóspede do hotel.

Singapura
Infinity Pool

SkyPark

Subi ao SkiPark situado no Marina Bay Sands

SkyPark no topo

Cabem três Airbus A380 e meio neste complexo.

Quem não é hóspede, só tem acesso à ponta oval do SkyPark, que é o “miradouro” (Observation Deck)

Boas vistas

Singapura
Vista do SkyPark

Gardens by the Bay

De seguida visitei o Marina Bay Gardens, nas traseiras do Hotel tendo-me deslocado num carro sem condutor

Gardens by the Bay

Fui até Orchard Street, rua bem conhecida. É o equivalente à Oxford Street de Londres.

Cidade verde

A cidade é uma cidade verde e há árvores e plantas por todo o lado

Templos e Mesquitas

Passei por Little India

Singapura
Little India

onde fotografei dois templos dedicados à Deusa Kali essencialmente

Passei por uma mesquita (Abdul Gafoor)

Festivais de Luzes

À noite assisti a dois festivais de luzes:

No Gardens by the Bay

Fotos:

Singapura
Supertree Grove at Gardens by the Bay

No Marina Bay Sands

Jardins Botânicos

No último dia, visitei o Museu Nacional de Singapura e de tarde, os jardins botânicos que estavam situados no centro da cidade

Fotografei orquídeas

Cascatas

Vi um esquilo, cisnes e peixes

Bugis Street – pechinchas

Acabei a visita em Bugis Street, um mercado muito concorrido e o sítio ideal para comprar recordações a baixo preço

Bugis Street

Conclusões sobre Singapura

Adorei Singapura. Tornou-se a minha cidade favorita pelos seguintes motivos:

– Um equilíbrio perfeito entre os espaços verdes e os arranha-céus

– Pouco trânsito

– Excepcional rede de transportes com metro sem condutor, além de autocarros e táxis

Singapura
Metro sem condutor

– Ruas sinalizadas de forma clara. Nem precisa de GPS se tiver um mapa.

Singapura
Rua bem sinalizada: Serangoon

– A cidade nunca pára

– Segurança total, mesmo sem haver polícias à vista. Andei com a câmara pendurada ao pescoço de dia e de noite

– Bons museus

– Para todos os bolsos – há sítios caros e sítios económicos

– Não há mendigos

– Ninguém incomoda para vender o que quer que seja.

– Oferta de restauração 24 horas por dia

– Vida nocturna

– Jardins fabulosos

-Parques de diversões com Universal Studios e praias em Sentosa (ilha)

Ou seja, tem de tudo.

Deverei com certeza voltar.

Assim termina um périplo pelo Sudeste Asiático que foi uma óptima experiência.

Espero que tenha gostado

Dicas finais

Seguem uns conselhos sobre como se movimentar em Singapura:

  • Use o MRT
  • Se não usar muito o metro, compre bilhete à medida que for precisando. Foi o que fiz. Cada viagem custa em média cerca de 1,50 dólares de Singapura. O passe de turista de 48 horas custa 26 dólares em que 10 são reembolsáveis se devolver o cartão.
  • Em cada estação tem o mapa das ruas das redondezas. Foi assim que encontrei a rua do meu hotel. Não hesite em pedir ajuda se precisar. Uns ajudam, outros não sabem.
  • Caminhe. A cidade é muito agradável apesar de estar quase sempre calor, pois a mesma situa-se na zona do Equador.
  • Evite o táxi. Só se tiver muitas malas
  • Traga toalha de banho para usufruir das praias na Ilha de Sentosa
  • Traga protector solar especialmente se andar muito na rua ou for à praia
  • Obtenha dólares de Singapura nas casas de câmbio na cidade. Pode trocar qualquer moeda de outro país. Eu troquei Yuans chineses. Até Dong Vietnamita eles trocam.

Para saber mais sobre Singapura, clique aqui

Acompanhe o blog no Facebook e Instagram.

Pedro Monteiro

Siga-me nas redes sociais
error

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial
error

Gostou do blog? Partilhe!